Páginas

terça-feira, 13 de março de 2012

História da Renovação Carismática Católica em Montes Claros-MG


História da Renovação Carismática Católica
A Renovação Carismática Católica (RCC) surgiu, na Arquidiocese de Montes Claros, durante a década de 1970, como uma grande bênção para a Igreja no Norte de Minas Gerais. Esse organismo direcionou as pessoas para o enriquecimento espiritual, a busca da reflexão, o estudo da Palavra, a assiduidade aos sacramentos e a transformação de vida
Quem deu início à RCC na cidade-sede desta Igreja particular foi Raimundo Tadeu de Carvalho, sacerdote com intensa sede espiritual e compromissado com a Igreja. Após participar da “Experiência de Vida no Espírito Santo”, em Ribeirão Preto, São Paulo, ele voltou a MOC com a firme decisão de criar um grupo de oração na Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Catedral).
Surgiu então, em março de 1977, o primeiro grupo de oração, denominado São Pio X, no salão paroquial, conduzido por ele durante muito tempo. Importante lembrar as pessoas que foram se juntado a padre Tadeu para prosseguir neste novo sopro missionário de evangelização: Ângelo, Isabel, Augusta, Bernadete, Zezinho, Brígida Carmélia, Eulina, Florinda, Graça, Margot, Rosita, Salomé, Tê Maia, Vilma, Diomar, Graice, Clarinha, Lieta, Elvira, Welington, Juliano, Renzo, Marcos, Haroldo, pessoas que ajudavam padre Tadeu na montagem e realização de experiências de vida no Espírito Santo em Montes Claros e também em outras cidades da região.
Crédito da Foto para Divulgação RCC-Arquimoc
Crédito da Foto para Divulgação RCC-Arquimoc
Abrangência
Em 1979, padre Tadeu, observando a existência de somente um grupo de oração em MOC, sentiu a necessidade de formar outro grupo de oração. Desta vez na Paróquia Nossa Senhora da Conceição e São José (Matriz). E assim aconteceu. Atualmente a Arquidiocese de Montes Claros conta com a existência de 101 grupos de oração. Além da cidade-sede desta Igreja particular e no distrito de Nova Esperança, eles estão presentes ainda nos municípios de Botumirim, Grão Mogol, Francisco Sá, Capitão Enéas, Brasília de Minas, São João da Ponte, Taiobeiras, Bocaiuva, Ibiaí e Glaucilândia, todos cadastrados no escritório da RCC.
Entidade constituída em 12 julho de 1998, de caráter filantrópico, beneficente, educativo, cultural e formador, a Associação Monsenhor Tadeu nasceu com a finalidade de promover ações humanas que deem suporte às atividades da RCC na Arquidiocese de Montes Claros através da contribuição de associados. Como melhor fruto da ação missionária da RCC, temos hoje 13 comunidades de vida e aliança nesta Igreja particular. 

Fonte: Arquimoc

2 comentários:

  1. SINCRETISMOS RELIGIOSOS, SEITAS PENTECOSTAIS PROTESTANTES OU RCCs?
    Sabe-se que Satanás tem predileção especial por subverter os católicos transformando-os em cismáticos ou hereges, sem citar os inúmeros de fé mal formados ou deformados, coadjuvados por alguns leigos e sacerdotes apostasiados e da herética TL, infestando ainda mais a Igreja de dissensões, ex.: ex freis Boff, Betto e o relativista Pe Fábio de Melo, etc.
    Doutro lado, as seitas evangélicas quase todas pentecostais, doutrinário-relativistas às centenas em galpões, com um culto semelhante a centros espíritas, com gritaria geral, expulsão de supostos maus espíritos para curas, sessões de descarrego, pessoas caindo ao chão, outras em aparentes transes, bem semelhantes a certos supostos grupos hilariantes "auês" RCCs, procedendo como cismáticos, rebeldes às instruções da Igreja, fantasiados de católicos. Veja bem: até os protestantes tradicionais questionamos próprios irmãos por tais comportamentos, tachando-os de "espíritas disfarçados de evangélicos"! E notem: componentes de seitas acusando a irmãos de herejes...
    É bom notar que a Igreja está infiltrada desde a década de 30 por Stálin de comunistas e outras sociedades secretas, insuflando a confusão em movimentos eclesiais, como a perversa e apóstata TL. Por ex., a "Bíblia. Edição Pastoral" da Editora Paulus, por ex., dos pes Ivo Storniolo e Euclides M Balancin é versão socializada para a TL, devidamente subvertida, com poucas diferenças de sentido, enganando facilmente os incautos e " O DOMINGO". Idem, as interpretações fraudulento-sectárias do Vaticano II para adicionarem mais celeumas na Igreja na difícil missão de evangelizar.
    A situação é complexa: a Igreja é tolhida por grupos em seu núcleo a conspirar contra ela, como os eventuais RCCs dissensos, privilegiando o espalhafatoso, os enlevos espirituais, podendo confundir fenômenos psicológicos com dons do Espírito Santo; os grupos RCCs são válidos quando devidamente orientados por eclesiáticos competentes, sob rígidas normas às reuniões, caso contrário, assumirão protestantismo pentecostal. Ao invés de ficar à cata de dons especiais carismáticos individuais que sugeririam egoísmo, orgulho, vaidade, auto enlevamento, fé prazeirosa, experiências divinas, etc., como o "falar em línguas", diz S Paulo: 1 Cor 14,19 Mas numa assembléia, prefiro dizer cinco palavras com a minha inteligência, para instruir também os outros, a dizer dez mil palavras em línguas. Além de ser dons individuais que sugeririam egoísmo e outros, trata-se de ser difícil saber se provém de si ou do animador com o grupo reunido; idem, nos exorta a empenhar-se com mais esforço e ardor em aperfeiçoar-se na caridade que é perene. Veja 1 Cor 12,31 e 13+.
    Muito mais ainda evitar-se o "repouso no Espírito" em reuniões, por necessitar de "aprofundamento, estudo e discernimento"; quanto aos exorcismos, atentando-se ao estabelecido no cânon 1172, reservado apenas às autoridades eclesiásticas competentes para discernir com perícia e objetividade o caso.
    Por outro lado, o S Padre Bento XVI em viagem a Benin, África, como noutras ocasiões, criticou as liturgias atraentes, emotividades e manifestações culturais e semelhantes às celebrações litúrgicas como anti eclesiais, instando-nos a um cristianismo "mais simples, profundo, compreensível", sob normas oficiais da Igreja, evitando-se os sentimentalismos, afirmando que tais manifestações emotivistas provêem de seitas pentecostalistas aparentemente compreensivas e atraentes, que não passam de "sincretismo religioso e pentecostalismo protestante", advertindo-nos a não os imitar; caso contrário, a Igreja perderia seu caráter de catolicidade, permitindo ser instrumentalizada em palco de manifestações de culturas locais, aparentando inclusive sincretismo oriundo da própria Igreja.
    Convém notar que há seitas autonomeadas RCCs sem vínculos com a Igreja; mais um esquema de enganação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão Stefan, cuidemos dos movimentos válidos da Igreja. Cuidemos da RCC que é Obra de Deus, mas que é alvejada pelo Inimigo querendo prostituí-la. Não permitamos isto. Amemos a Igreja. Obrigado pelo seu belíssimo comentário. Seja bem vindo.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...