Páginas

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Bispo suspende sacerdote candidato a vereador pelo Partido Comunista do Brasil


MINAS GERAIS, 22 Set. 16 / 01:30 pm (ACI).- Nesta segunda-feira, 20, a diocese de Leopoldina (MG), publicou um decreto de seu bispo Dom José Eudes Campos do Nascimento, determinando a suspensão do sacerdote Eduardo Inácio de Abreu, que se candidatou a vereador pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB) na cidade de Visconde do Rio Branco (MG). O decreto afirma ainda que, caso o sacerdote não cumpra a proibição, poderia receber a pena de demissão do estado clerical conforme previsto no Código de Direito Canônico.

Diz o decreto da Diocese de Leopoldina assinado por Dom José Eudes: “Considerando a divulgação do Registro da Candidatura do Reverendíssimo Pe. Eduardo Inácio de Abreu ao cargo de vereador do município de Visconde do Rio Branco, MG, no site do Tribunal Superior Eleitoral (...) que comprova também a sua filiação ao PC do B – Partido Comunista do Brasil (...) Decretamos que o Reverendíssimo Padre está suspenso totalmente do exercício da ordem sagrada, do exercício do poder de regime eclesiástico e do exercício de qualquer ofício eclesiástico”.

Vale recordar que o Padre José Eduardo já havia sido candidato anteriormente pelo PC do B a Deputado Estadual e foi notificado no dia 10 de setembro deste ano para que no prazo de cinco dias úteis apresentasse sua desfiliação do partido e renúncia ao processo eleitoral do qual participa sob pena de suspensão.

O decreto considera que o sacerdote transgrediu o cânon 287 §2 do Código de Direito Canônico, que determina que os clérigos (sacerdotes, bispos e diáconos) não tenham “parte ativa nos partidos políticos e na direção de associações sindicais, a não ser que, a juízo da competente autoridade eclesiástica o exijam a defesa dos direitos da Igreja ou a promoção do bem comum”.
A punição se sustenta sobre o previsto no Código de Direito Canônico no seu cânon 1371 §2, que prescreve que “seja punido com justa pena: quem, por outra forma, não obedecer à Sé Apostólica, ao Ordinário ou ao Superior quando legitimamente mandam ou proíbem alguma coisa, e, depois de avisado, persistir na desobediência”.

“Assim, segundo a mente do cân. 1333 §1, o citado sacerdote está proibido de realizar todos os atos do poder de ordem e todos os atos do poder de regime, bem como está proibido de exercer todos os direitos ou funções inerentes a quaisquer eclesiásticos” conclui o decreto assinado por Dom José Eudes Campos, bispo Diocesano de Leopoldina, com data de 16 de setembro de 2016.

O descumprimento da suspensão poderia levar o padre Eduardo Abreu à pena de “demissão do estado clerical”, que é a punição prevista no Cânon 290 do Código de Direito Canônico que estabelece que o clérigo perde o estado clerical nos seguintes casos:

1° - por sentença judicial ou decreto administrativo que declara a nulidade da sagrada ordenação; 2° - por pena de demissão legitimamente irrogada; 3° - por rescrito da Sé Apostólica; esse rescrito, porém, é concedido pela Sé Apostólica aos diáconos, somente por motivos graves, e aos presbíteros por motivos gravíssimos.

A íntegra do decreto pode ser lida no site da Diocese de Leopoldina:

http://dioceseleopoldina.com/noticiasdiocese/decreto-de-suspensao-de-ordem-sagrada/

Fonte: ACI Digital

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Frutos do Socialismo. Sem berços, recém-nascidos dormem em caixas de papelão em hospital na Venezuela


Diante de uma grave crise econômica, um hospital se viu obrigado a acomodar seus bebês recém-nascidos dentro de caixas de papelão na Venezuela. Apertados em condições impróprias, eles dormem nos recipientes que, muitas vezes, são colocados sobre o chão porque não há berços. A imagem foi divulgada por um funcionário do hospital da cidade de Barcelona, no estado de Anzoátegui, em mais um retrato da escassez de itens médicos que atinge o país.

A foto correu pelas redes sociais após ter sido compartilhada pela oposição venezuelana, que trabalha em uma campanha pela saída do presidente do país, Nicolás Maduro. Segundo a rede CNN, autoridades prometeram abrir uma investigação sobre o caso.

Fonte: Gazeta do Povo

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Mulher criada por pais gays publica livro sobre o mal de ser privada de uma mãe

Quando se fala da regulamentação da união civil de casais homossexuais, logo se fala também da possibilidade de adoção. Porém, as consequências da privação de uma das duas figuras, a paterna ou a materna, é um tema ainda bem inexplorado e o testemunho das pessoas criadas por casais homossexuais em outros países são relativamente desconhecidos.

No Canadá, Dawn Stefanowicz, publicou o livro Out From Under: The Impact of Homosexual Parenting para contar a sua experiência. Segundo ela, após o lançamento do livro, em 2007, mais de cinquenta outros adultos que foram criados por casais LGBT entraram em contato para dizer que compartilham as suas preocupações sobre o casamento e a paternidade homossexual. “Muitos de nós lutam com a sua própria sexualidade por causa da influência do ambiente em que cresceram”, conta Dawn.

Ela lamenta a forte restrição de liberdade de pensamento que se verificou no seu país após a aprovação do casamento gay. Posicionar-se de forma contrária pode gerar consequências disciplinares, demissão ou perseguições por parte do governo.

Mas as palavras mais fortes do seu livro são aquelas que narram as experiências que viveu na infância. “Nas famílias homossexuais, as crianças negarão com frequência a própria dor e fingirão não sentir falta de um pai biológico, sentindo-se pressionadas pelas políticas que circundam as famílias LGBT a se exprimir positivamente. Quando as crianças carecem de um pai biológico por morte, divórcio, adoção ou reprodução artificial, experimentam um vazio doloroso. É o que acontece também quando o nosso pai gay traz para dentro da nossa vida o(s) seu(s) parceiro(s) do mesmo sexo, que nunca poderá substituir o genitor biológico”, escreve Dawn.

As crianças têm naturalmente a necessidade de ter uma mãe e um pai – e têm o direito a isso. Dawn diz que “as mães e os pais contribuem com dons únicos e complementares à formação dos filhos. O sexo dos pais conta para um desenvolvimento saudável dos filhos. Nós sabemos, por exemplo, que a maior parte dos homens que estão presos não tiveram um pai por perto. Os pais, por sua natureza, asseguram identidade, dão direção, disciplina e limites e constituem um exemplo para os filhos, mas não podem gestá-los no próprio ventre ou amamentá-los. As mães criam os filhos de uma maneira única que não pode ser substituída pelo pai.”

Dawn afirma ser uma das seis adultas criadas por pais gays que recentemente apresentaram à Suprema Corte norte-americana uma advertência solicitando que seja respeita a autoridade dos cidadãos em manter a definição originária do casamento, de modo que os filhos possam ser educados por seus próprios pais biológicos ou por quem de fato possa lhes substituir.

Assista a um vídeo com o testemunho de Dawn Stefanowicz (legendado em espanhol):




Fonte: Sempre Família

La historia del primer católico de Bután que se hizo sacerdote gracias a Madre Teresa


DARJEELING, 02 Sep. 16 / 04:05 pm (ACI).- Kinley Tshering se había convertido al catolicismo, a pesar de que en su país Bután no estaba permitido. Pero él sentía el llamado a dar un paso más. Agobiado por la incertidumbre pidió al Señor una señal y ésta llegó cuando Madre Teresa se sentó junto a él en un vuelo hacia Calcuta. Ahí cambió su vida.

Kinley Tshering, único católico converso en el Reino budista de Bután, trabajaba en el año 1986 como representante de una casa india de galletas y bebidas. Según Religión en Libertad, se había convertido al catolicismo en la India, estudiando en una escuela católica en Darjeeling, a los 15 años, en 1974, y luego había profundizado en su fe estudiando con los jesuitas en Bangalore y en Mumbai.

Había recibido los sacramentos en secreto: hasta 1995 no hubo plena libertad religiosa en Bután. “Desde 1974 sentía una inquietud dentro de mí".

"Yo siempre había querido consagrar mi vida a Cristo como sacerdote. Pero mis estudios profesionales, las presiones de la familia y mi estilo de vida no estaban ayudando a que tomara una decisión final”.

En esos momentos, de agobio ante la incertidumbre de la vocación, Kinley rezaba a Dios para que le diera una señal. “Recuerdo decir a Dios: ‘Tienes que darme una señal como esa [dada] a Teresa del Niño Jesús, al ver la nieve en el verano, pero lo suficiente para que yo no lo dude’. Así oré en ese viaje en misa, el domingo, cerca del hotel”.

Fue cuando coincidió con Madre Teresa en un vuelo hacia Calcuta.

Pio XII Excomungou Aqueles que Aderirem ao Comunismo


“Esta Suprema Sagrada Congregação foi interrogada:

“1. se é lícito se inscrever no partido comunista ou apoiá-lo;

“2. se é lícito imprimir, divulgar o ler livros, revistas, jornais ou panfletos que apóiam a doutrina ou a obra do comunismo, ou escrever neles;

“3. se pode se admitir aos Sacramentos os cristãos que consciente e livremente praticaram atos descritos nos números 1 e 2 acima;

“4. se os cristãos que professam a doutrina comunista materialista e anticristã, e sobre tudo aqueles que a defendem e propagam, incorrem ipso facto na excomunhão reservada à Sé Apostólica, enquanto apóstatas da fé católica.

“Os Eminentíssimos e Reverendíssimos Padres encarregados da tutela da fé e da moral, tendo ouvido o voto dos Consultores, na reunião plenária de 28 de junho de 1949 responderam decretando:

“1. negativo: de fato o comunismo é materialista e anticristão; os chefes comunistas, embora por vezes sustentem verbalmente não serem contrários à Religião, de fato seja na doutrina seja nas ações se mostram hostis a Deus, à verdadeira Religião e à Igreja de Cristo;

“2. negativo: é proibido pelo próprio Direito (o documento refere-se ao cânon 1399[4] do Código di Direito Canônico então vigente); “3. negativo, respeitando os princípios normais de negar os Sacramentos a aqueles que não estão bem dispostos para recebê-los;

“4. afirmativo.

“No dia 30 do mesmo mês e ano o Papa Pio XII, na audiência habitual ao Assessor do Santo Oficio, aprovou a decisão dos Padres e ordenou promulgá-la no jornal oficial dos Acta Apostolicae Sedis.”

João XXIII: em 25 de março de 1959, ratificou o documento acima malgrado os câmbios operados na conduta do comunismo.

Fonte: Lepanto

Padre prega voto contra comunistas, ‘mesmo que seja Madre Teresa’

BRASÍLIA - Em um vídeo de dez minutos, que circula em redes sociais favoráveis a candidatos de linha conservadora, o padre Rodrigo Maria, de Goiás, orienta os eleitores católicos a não votarem em partidos de "índole marxista, comunista, socialista e abortista". E que defendem ideologia de gênero "gayzista", o aborto e a legalização das drogas. Abertamente, o padre recomenda que fiéis não votem em candidatos dos partidos PT, PCdoB, PSOL, PSTU e PCO. O religioso diz que não se pode escolher postulantes dessas legendas, mesmo que os candidatos sejam Madre Teresa de Calcutá, sua mãe, seu irmão ou qualquer outro parente querido.

Fonte: O Globo

Veja o vídeo abaixo:

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Francisce, quo vadis?

Por Padre Romano | FratresInUnum.com: Há em Roma, no início da Via Ápia, bem próxima às Catacumbas de São Calixto, uma pequena igreja intitulada “Domine, quo vadis?”, ou seja, “Senhor, para onde vais?”. Segundo uma antiqüíssima tradição, neste local, o Apóstolo Pedro, bispo de Roma, Papa e Pastor de toda a Igreja, teve uma visão de Nosso Senhor.


Diz-se que o Príncipe dos Apóstolos, num momento de cruel perseguição aos cristãos por parte do Imperador Nero, foi convencido por seus fiéis a deixar a Cidade Eterna e a procurar refúgio noutro lugar. Porém, ao sair da cidade, depara-se com Cristo que, carregando a Cruz, dirige-se a Roma, fazendo o caminho contrário ao de Pedro. Este, então, interroga o Mestre: – Senhor, para onde vais?, e lhe responde o Salvador: – Vou a Roma, para ser novamente crucificado.

Aquelas palavras fizeram entender a Pedro que ele deveria estar com os seus fiéis, sendo o primeiro a dar testemunho da fé em Cristo, Deus e Homem verdadeiro, Salvador da Humanidade. De fato, pouco tempo depois, Pedro é condenado à morte e crucificado no Teatro de Nero, na Colina do Vaticano, onde se erguia o obelisco egípcio que hoje se acha ao centro da Praça de São Pedro, como testemunha do martírio do primeiro Papa que, por humildade, quis ser crucificado de cabeça para baixo, por não se achar digno de morrer como o seu Senhor.

Vivemos momentos de grande confusão na Igreja: temos a nítida sensação que a barca de Pedro está desgovernada, sem timoneiro. Perguntamo-nos para onde estamos indo e, sobretudo, para onde o Romano Pontífice, fundamento visível da unidade e da verdade da fé, está levando a Igreja. Sentimos, como nunca, a falta de um guia que nos conduza, como novo Moisés, rumo à Terra Prometida, atravessando o deserto deste mundo que jaz sem Deus, na sombra do pecado e da morte, advertindo-nos dos perigos que teremos que enfrentar, e preparando-nos para a provação e a luta.

Francisce, quo vadis?

Será que não percebes que nem sempre a voz dos fiéis, mesmo daqueles que, como os cristãos de Roma, pensavam estar acertando em suas propostas, vem de Deus? Será que não te dás conta que estás caminhando sobre areia movediça, e que o rebanho corre o risco de perecer no caminho? Será que não vês que a indiferença aumenta assustadoramente entre os católicos que, não mais seguros de sua fé, começam a aceitar mentiras, em relação à família, à administração dos sacramentos a pessoas impedidas, por direito divino, de recebê-los? Não enxergas que estás favorecendo o adultério e inúmeros sacrilégios que são a porta larga que conduz ao inferno? Não percebes que a tua misericórdia é incompatível com a misericórdia de Deus, que é infinita, mas anda de mãos dadas com a justiça, e exige a mudança de vida do pecador? Não te dás conta que as obras de misericórdia que tanto apregoas, se dissociadas da graça, não tem valor, como ensinou o Apóstolo Paulo, e que muitos acham que só o que salva é a caridade, que pode ser praticada por qualquer pessoa, inclusive um ateu, sem que lucre nada para a salvação?

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Bispos pedem ao governo de Obama pelo fim da "perseguição jurídica" às freiras que rechaçaram mandato abortista


WASHINGTON DC, 14 Set. 16 / 04:00 pm (ACI).- Alguns peritos legais assinalam nestes dias que o governo dos Estados Unidos tem a oportunidade de pôr um fim na “perseguição jurídica” às Irmãzinhas dos Pobres (Little Sisters of the Poor), algo que deveria aproveitar.

No dia 16 de maio deste ano, a Suprema Corte desse país determinou, de forma unânime, que o governo não pode multar a Congregação de religiosas por não ceder ante o mandato abortista da administração do presidente Barack Obama.

"Em um país dedicado à liberdade religiosa, o conflito entre Igreja e o Estado deve ser evitado. E uma vez iniciado, deve terminar logo e afetuosamente", declarou o advogado da Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB) aos Centros de Serviços de Medicare e Medicaid (CMS) em 9 de setembro.

Acrescentou que "agora está explicado, com muita claridade, como o governo pode conseguir suas políticas a longo prazo sem obrigar aqueles que têm sinceras objeções religiosas”.

A lei de saúde, aprovada em 2010, ordenou que o "cuidado preventivo" devia ser coberto em todos os planos de saúde. Nos regulamentos estabelecidos dois anos depois, o Sistema de Saúde e Serviços Sociais dos Estados Unidos (HHS) interpretou que todas as empresas e instituições deviam subministrar cobertura na área da saúde aos seus funcionários, incluindo anticoncepcionais, esterilizações e pílulas abortivas.

Em seguida, o governo anunciou um processo para que as organizações sem fins de lucro optem por não seguir o mandato, mas muitos grupos –incluindo as dioceses e as Irmãzinhas dos Pobres–, disseram que o suposto convênio ainda os obrigava a violar suas crenças religiosas. Mais de 300 organizações denunciaram o governo por aquele mandato.

A alegação por escrito das Irmãzinhas e outros demandantes como a Arquidiocese de Washington e o Bispo de Pittsburgh, Dom David Zubik, foi recebida pela Suprema Corte o 2015.

Depois de receber os relatórios, a Corte devolveu o caso em maio aos Tribunais de Primeira Instância e disse que tanto as religiosas como o governo deviam encontrar uma solução.

Segundo a USCCB “a solução existe”. “Apenas há um caminho para um acordo sobre o assunto e é que as Irmãzinhas e outras organizações sem fins de lucro elaborem as modificações ao mandato”, afirmaram.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Os Anjosde Deus são contra o Estatuto do Desarmamento


Imaginem uma Campanha de Desarmamento Espiritual na vida dos Anjos, seria um horror e derrota para o Céu.... Pois bem, lá não tem um governo comunista. Os Anjos usam ESPADA sim, eles se armam para defender o Povo de Deus das armas dos Anjos Maus.

São Miguel, lutai com espada desembainhada por nós!

Bancos em greve, um tédio!


Não tem como gostar das greves. Na briga entre Patrões e Empregados, quem sai perdendo somos nós os Clientes, sempre. É uma dor de cabeça que atrapalha nossas vidas, logo nós que não temos nada a ver com isto. Se querem brigar, usem outra opção que não seja nossa liberdade de depositar/sacar, investir e negociar.

Engraçado que alguns Grevistas querem apoio da Sociedade, MAS quando os Bancos aumentam as taxas contra a sociedade, os grevistas não falam nada como forma de alívio ao Povo pagador de Taxas abusivas.

Clientes nas greves são como reféns nesta história maldita!

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

A diferença linda entre homem e mulher

Nota-se que a linda riqueza nos Casais está além das igualdades do homem e da mulher. A lindeza impar está nas suas diferenças. É na diferença que um completa o outro. Se um fosse completamente igual ao outro em suas partes espiritual, mental e física, eles portanto não se completariam e não se tornariam um, mas sempre dois seres separados e distantes, nunca unidos ou unitivos nem muito menos fecundos. O hétero é lindo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...